Filha da Mãe!

Calma... não pretendo insultar ninguém mas não havia forma de dar a volta a esta questão. Nesta história existe uma filha e uma mãe!
Acredite desde já naquilo que escrevo de seguida. Quando terminar de ler esta entrevista vai ficar rendido à simpatia, boa disposição e energia da Gabriela Amado. Depois, vai descobrir que se apaixonou! Por quem? Pela Mãe! 
Mas, afinal, quem é a Mãe?, pergunta o meu caro leitor. A Mãe é uma artista, uma ideia, uma marca, uma filosofia de vida que não deixa ninguém indiferente...

Tudo nesta marca portuguesa é único e original. 
A começar pelo nome, É a Minha Mãe que Faz. Na verdade, a mãe é quem faz mesmo, a filha trabalha na concepção e design e o resultado final não poderia ser melhor. Peças arrojadas, que vivem por si, repletas de cor e movimento. São autênticas obras de arte pensadas ao detalhe, feitas à mão e com materiais originais!
Paragem obrigatória para espreitar É a Minha Mãe que Faz, estou completamente rendida a toda a cor e boa disposição que cada peça traz consigo. O que tem de ser tem muita força, como se costuma dizer e, não há forma de fugir ao nosso destino. A Gabriela Amado é a filha desta mãe talentosa e é quem desenha estas obras de arte... Se ficou curioso, prepare-se para ficar ainda mais...



(a dupla É a Minha Mãe que Faz)

TCUP- Afinal, porque é que é a mãe que faz?
Gabriela Amado- A "MÃE" faz porque sempre existiu uma necessidade de permanente criação, de extravasar todo um universo muito nosso e que tem, obviamente, o nosso cunho pessoal.


TCUP- Como descobriste que tinhas este talento escondido (o de criar) e como nasce a sintonia com a tua mãe (que é quem faz)?

GA- Desde que nasci sempre tive "habilidade" (sou muito modesta!), chamemos-lhe assim, de criar muitas coisas. Roupas, malas, bijuteria. A participação da minha mãe vem desde os tempos de miúda, digamos que ela era a executante/costureira de muitas ideias que surgiam de observações diárias, revistas, televisão. Durante toda a minha infância e adolescência quem fazia toda a minha roupa era minha mãe....e a sintonia era perfeita, por mais estranho que parecesse o que lhe pedia, a minha mãe executava sempre sem questionar (embarcava na minha onda) e o resultado final para nós era sempre brilhante. E eu orgulhosamente usava "aquelas-roupas-estrambólicas-super-coloridas" onde era alvo de tantos comentários, bons e maus!!! Mas WHO CARES?? Basicamente ADORAVA!! A estética sempre foi uma grande parceira na minha vida e aplico-a em tudo o que faço. É quase compulsivo! Neste momento digamos que a criação da marca é da total responsabilidade da minha mãe, a simbiose é tão perfeita que a minha intervenção é basicamente a composição de materiais.

TCUP- Sempre foste assim arrojada?
GA- Não sei se fui ou se sou arrojada mas de facto diferente sempre fui. Tenho um estilo muito próprio, adoro misturar cores e padrões e quebrar regras! Sem medos, uso tudo o que me apetece, sempre foi assim, e agora os 40 deram-me ainda mais poder. De facto a idade é um posto! A libertação e não "andar em carneirada" sempre foi o meu lema quando me visto.


(Gabriela Amado)

TCUP- O que podemos encontrar na É a Minha Mãe que Faz?
GA- Acessórios minimalistas não encontramos de certeza! Colares, malas, pulseiras, chapéus, roupa, tudo handmade e único! O facto de não haver duas peças iguais para mim é uma das nossas maiores qualidades. A perfeição na execução é outra das nossas mais valias.

TCUP- Cor e originalidade. São estas as palavras de ordem?
GA- Tudo muito colorido, shining, kitch, onde o acessório passa a ser o protagonista de toda a história. A ideia é, imaginemos, vestir um colar e o resto passa para segundo plano!
As nossas peças marcam a diferença por elas próprias.





TCUP- Que imagem queres criar para a tua marca e até onde a imaginas crescer?
GA- A imagem está criada, quem nos conhece sabe do que falo, obviamente ainda existe um longo caminho a percorrer, as ideias não param e tomara termos a possibilidade de nos dedicarmos à marca a tempo inteiro. O nosso reconhecimento além fronteiras é uma realidade e queremos muito apostar na internacionalização da marca. Que tal, MUM DOES?

TCUP- A atriz Joana Câncio é a tua embaixadora. Espelha bem aquilo que a marca representa?
GA- A Joana é a minha musa de inspiração, a Michele Pfeiffer portuguesa, a minha amiga do coração que abraçou o nosso projeto, dando a cara e a alma desde os primórdios da marca. Não poderia ter sido melhor e estou-lhe eternamente grata por isso! O resultado é perfeito.





TCUP- Acreditas que os acessórios fazem a diferença?
GA- Obviamente para mim é nos detalhes, acessórios, que marcamos toda a diferença, 
uma roupa básica (um vestido básico, jeans, tshirt), uns bons sapatos/botas/ténis, acessórios da MÃE, (cabelo trendy e tratado) e estamos prontas para enfrentar o dance floor da vida!!!

TCUP- Para esta próxima estação vais apostar em… ?
GA- Ainda não pensámos nisso! As coisas vão acontecendo mediante os eventos que temos.
As peças da MÃE são um trabalho constante que progride diariamente, por isso, não existem estações mas sim colecções, que são várias durante o ano. Introdução de novos materiais, novas execuções e abrir um pouco o "leque" de acessórios para outras directrizes.

TCUP- O que gostarias que acontecesse à É a Minha Mãe que Faz, no futuro?
GA- A Miucia Prada vai descobrir-nos, vamos trabalhar para a MIU MIU e, iremos obviamente morar no Soho em Nova Iorque!



Close Up no Facebook, aqui

No comments:

Post a Comment