Carlos Ramos, com luz e sem filtros!

O atelier tem vista para o Largo do Carmo. A porta do prédio é daquelas grandes e antigas. Assim que se entra damos de caras com um átrio de tijolo envelhecido. É só subir as escadas para chegar ao local onde Carlos Ramos faz magia. Um estúdio enorme, com tectos muito altos e trabalhados, espelhos espalhados por todo o lado, um aquário repleto de peixes, na aparelhagem ouve-se bossa nova. O ambiente não podia ser melhor e a história que aquelas paredes e luzes contam é a história de um dos mais prestigiados e premiados fotógrafos de moda de Portugal. A sua lente já captou as expressões, os olhares, os sorrisos de personalidades de várias áreas, desde a moda à televisão.
Vem da "velha" escola do IADE, onde é professor, e começou a trabalhar em 1990. O tempo e os anos garantem-lhe a experiência e a certeza que tudo o que de mais importante aconteceu neste meio, passou pelas suas lentes.
É tímido, homem de poucas palavras mesmo quando a entrevista é escrita. Talvez porque reserva o melhor para aquilo que verdadeiramente o apaixona.



TCUP- Quando é que soubeste que o teu percurso e a tua vida passariam pela fotografia?   
Carlos Ramos- Por mero acaso, por ter encalhado na média de entrada em Arquitectura, no tempo em que ainda não havia Universidades privadas. E foi assim, perdeu-se um péssimo arquitecto.

TCUP- Estudaste para ser fotógrafo ou foi um puro acaso da vida, um talento inato, sensibilidade?
CR- Estudei um bocadinho mas não muito! O básico e essencial no IADE.

TCUP- O que te transmite a arte da fotografia em si? O que pretendes?
CR- Não lhe chamo arte, no meu caso não chego a tanto. É mais um modo de vida.


(Máxima Maio de 2012)

TCUP- Quem são os teus fotógrafos de inspiração?
CR- Muitos e variados. Adoro fotografia e acho que sou mais consumidor do que produtor.


TCUP- Tens truques?
CR- Ai... o photoshop é um óptimo truque!

TCUP- Sei que deve ser bastante difícil mas qual o trabalho que mais gostaste até hoje, ou o mais interessante e desafiante?
CR- Os primeiros... os da descoberta da fotografia!

TCUP- É fácil crescer em Portugal, Lisboa, como fotógrafo?
CR- Não é fácil crescer em Portugal, cada vez menos. Em Lisboa torna-se um pouco menos complicado!


(O estúdio... ou a vista!)

TCUP- Tens um estúdio no Largo do Carmo. É aí que fazes a maior parte dos teus trabalhos? 
CR- Não é bem no Largo... No estúdio com vista para o Largo! ( e eu confirmo!)

TCUP- Quando te convidam para um trabalho o que procuras de imediato?
CR- Fazê-lo!

TCUP- A tecnologia é tanta nos dias de hoje, o que achas que torna uma fotografia autêntica?
CR- Um photoshop avariado...

TCUP- Qualquer pessoa pode fotografar ou ser fotografada?
CR- Fotografada sim, fotografar é mais complicado!




(Marisa Cruz para a Revista Flash)


(Amoreiras Fashion Editorial)


(Raquel Prates para a Revista Inutil)

Poucas palavras mas com sentido de humor. Na fotografia tenta conciliar a perspectiva comercial com o sentido estético e artístico e afirma que na moda os mitos são muitos! Fotografa para revistas como a Máxima, a Activa e a Vogue, no segmento moda e tem fotografias espalhadas por toda a imprensa nacional, em variadas produções.

É caso para dizer "Avé, Carlos Ramos!"


3 comments:

  1. Mónica JardimFriday, 31 May, 2013

    Parabéns Tatiana por conseguires entrevistar o Carlos... eu tentei duas vezes, mas sem sucesso :))
    Parabéns Carlos por seres um fotógrafo com alma!!

    ReplyDelete
  2. Tanto talento por ai e são sempre os mesmos 5 ou 6 dinossauros a vingar na fotografia em Portugal... Ai Portugal Portugal, do que é que tu estás à espera?

    ReplyDelete