Pingo Doce


(abro aqui um parêntese no tipo de conteúdos que costumo publicar no Close Up

Bom, já não aguento mais ouvir falar do Pingo Doce e das promoções e se é bom ou mau. Nos noticiários não se fala de outra coisa, no facebook também. 
Logo no próprio dia surgiram as habituais piadinhas de bom e mau gosto!
Enfim, não consigo ficar calada! E como aqui quem manda sou eu, cá vai!

A campanha do Pingo Doce, quer se goste ou não, foi das mais geniais de sempre! Para começar.
Depois, porquê tanta revolta? Porque não chegaram a tempo?
Ninguém tem nada a ver com o que cada um faz ou deixa de fazer no seu feriado. Se passa o dia em manifestações, se fica em casa a dormir ou se vai até ao Pingo Doce fazer compras e espera cinco horas na fila da caixa para pagar!

O que acho inacreditável no meio desta confusão toda é a intolerância de muitas pessoas.
A falta de compreensão e de solidariedade.
50 euros faz muita diferença a quem está desempregado.
50 euros faz muita diferença a quem tem três e quatro filhos para alimentar.
50 euros faz muita diferença a quem ganha o ordenado mínimo.
Poder poupar metade do orçamento alimentar faz com que muitas famílias possam alimentar-se decentemente.
Poupar metade do orçamento alimentar faz com que muitas mães levem os filhos ao médico ou lhes comprem o livro que tanto precisavam, ou juntem esse dinheiro para o mês seguinte.

50 ou mais euros é dinheiro, caramba! É bastante dinheiro para quem faz uma ginástica imensa todos os meses, para quem tem a conta sempre a negativos, para quem faz o ordenado esticar ao máximo para chegar ao final do mês com poucos euros na conta.

E quem não tem este tipo de preocupações, quem tem um bom ordenado, quem termina o mês com a conta cheia e quis, de qualquer forma, poupar os 50 ou mais euros, fez muito bem! Em qualquer um dos casos, não entendo tanto julgamento.

O Pingo Doce ganhou e deu a ganhar muito!
Parabéns a quem se lembrou desta iniciativa porque aniquilou qualquer outro tipo de promoção que surja de futuro.
Parabéns a quem aproveitou bem os descontos. Seja a mãe de dois filhos e que assim pode levá-los ao médico, seja aquela pessoa que não tem dificuldades nenhumas e vai gastar o resto do dinheiro que poupou em compras ou a ir jantar fora.

Não acredito que metade das pessoas que tanto julga tenha feito algo útil neste dia. Se não foram é porque não precisam. Óptimo! 
Se não foram e queriam ter ido. Paciência. Esperem a próxima.
Se não foram porque no fim-de-semana anterior fizeram as compras e gastaram o triplo. Idem.

Agora chega de tanta idiotice. Cada um sabe de si, da sua despensa e da sua conta bancária. 
O resto é conversa.


7 comments:

  1. E quem fala assim não é gago. Concordo ;)

    http://maniac4moda.blogspot.pt/

    ReplyDelete
  2. Visto que deixaste est post aberto a comentários - e apesar de realmente seres tu quem manda aqui ;) - sinto-me no direito de atirar tb com a minha posta de pescada. - Sou desempregada de longa duração, sem qualquer perspectiva de empregabilidade (este país não é para velhos, e somos pelos vistos somos mesmo velhas a partir dos 35 anos)e tenho um filho de 3. O único ganha pão cá em casa é o pai dele, que recebe a dia 30 e dia 1 já tem a conta a zeros. O que eu acho verdadeiramente surpreendente é que se tenha 50 euros para gastar assim nas compras do mês de uma só vez, eu não os tenho. Se tinha querido aproveitar a promoção? sim tinha, era bom ter trazido cenas para casa a metade do preço. Se acho que esta acção veio camuflar muita coisa podre? Acho. Nem digo que os podres são do Pingo Doce ou da Jerónimo Martins, mas a verdade é que dia 1 não se falou de mais nada. Ou eram os pobrezinhos dos funcionarios do PD obrigados a trabalhar ao feriado, ou os desacatos no PD de quem não sabe respeitar o outro, ou se foi uma coisa boa ou má ou... precisamos de MUITO mais do que isto neste país, mas não vejo que venha a acontecer. É que não ter 50€ no principio do mês para gastar numa promoção destas assustou-me pela primeira vez relativamente á minha situação. E á do país, que eu sei que não sou caso virgem.
    http://fashionfauxpas-mintjulep.blogspot.pt

    ReplyDelete
  3. Ainda bem que este espaço é aberto a discussão. Além de manifestar a minha opinião, o que vem daí também é positivo. O Close Up irá sempre receber todos os comentários desde que não sejam ofensivos. Não é o caso. :)
    E nem quero imaginar a tua situação. Não está em causa a acção em si, se é podre ou não. Se deveria ter acontecido ou não. Só lamento que tantas pessoas critiquem outras pessoas que talvez estejam numa situação semelhante à tua. Infelizmente, somos um povo de extremos. Ajudamos muito mas também somos cruéis no julgamento. E acho condenável certas atitudes, certas palavras. Fala-se em humilhação dos portugueses, fala-se em tanta coisa. Verdade ou não, é assim. O país mobilizou-se para o PD fazer compras a metade do preço por algum motivo.
    E claro que é preciso muito mais, e esta acção não é solução para nada. Mas espelha a nossa realidade. Lamento que seja a realidade de tantas e tantas pessoas!
    Beijo de força! ;)

    ReplyDelete
  4. Aproveito a deixa para deixar o meu comentário mais extenso pela primeira vez aqui simpatizando da mesma forma com os dois comentários acima citados.
    A Jerónimo Martins capitalizou-se mais numas horas no feriado do que seguramente no fim-de-semana de Páscoa.
    O dinheiro circulou em várias formas (pagamento directo e indirectamente através do crédito) mas o facto é que o consumidor tipo, e não só, da cadeia JM acabou por investir numa das promoções mais arrojadas que alguma empresa Portuguesa já fez.
    Sem recorrer a jingles repetitivos ou qualquer tipo de anúncio desmesurado o passa a palavra contínua a dar provas de funcionar.
    Dos que não tinham 50€ no dia 1, aos que investiram em produtos premium todos foram, pensaram em ir, ou estão hoje a fazer contas ao retorno que fizeram/não fizeram.
    A JM conseguiu o que queria e o "sangue" à porta das lojas e a "sangria" dos media lacram o sucesso da campanha.
    Bens em final de vida, espaço em armazém traduzidos em euros, eliminar de concorrência directa, limpeza de imagem das últimas novidades que colocam a empresa a pagar impostos nos Países Baixos ao invés de os deixarem aqui no "burgo".
    Só vantagens... mas acima de tudo colocam-se numa posição comercial nunca antes vista, voltam ao mercado antes do fim do primeiro semestre do ano com uma vantagem competitiva que se traduz na possibilidade de esmagarem os produtores, ávidos de escoar stock mesmo que para isso tenham que fazer 50% de desconto.
    Bottom line cada um sabe de si mas o Jerónimo é que sabe!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Miguel Pinheiro:Ora aqui está alguém que percebe que mais que qualquer outra coisa,que isto não passou de um brutalissímo e muito bem pensado esquema de marketing. Ninguém dá nada a ninguém, muito menos essas empresas com cada vez mais e mais e dinheiro com o pobrezinho a enxer-lhe os bolsos. Com isto as pessoas gastaram o que tinham e o que não tinham, sim porque a ganância mora no pobre e o no rico, de quem está á rasca e quem não está que viu nisto uma oportunidade de levar coisas por metade do preço, siimplesmente! Lucro a 200 %!!! Os meus parabéns JM!

      Delete
  5. E de facto ninguém dá nada a ninguém. Já dizia o outro que não há almoços grátis. Mas gastando mais ou menos, há que saber aproveitar. E acima de tudo, aproveita quem quer e quem não quer, não tem nada com isso! :)
    O PD fez mais dinheiro num dia que em dois meses.... possivelmente! Ora muito bem! Significa que o JM tem pessoas inteligentes a trabalhar com ele!
    E se o português que lá vai comprar tb for, ganha com isso!

    ReplyDelete
  6. Olha adorei o post e assino por baixo. Eu fico muito feliz por quem conseguiu entrar naquela confusao e sair de lá com aquilo que queria. Fico feliz por quem tem dificuldades e conseguiu enxer o carrinho. Fico feliz..eu propria tentei lá ir. Desisti, é um facto, só de ver a fila. Mas acho brutal esta iniciativa e espero, sinceramente, que hajam mais! ;)

    Beijinho Tati*

    ReplyDelete